Aceitação também é escolha!

Construindo algo extraordinariamente, de forma excepcional.



Se tudo que nos fazem, ou deixam de nos fazer, não nos impede de seguirmos em direção aos nossos bons propósitos, aceitarmos é uma atitude humilde e inteligente. 

Tudo, jamais, nunca, sempre, etc., são expressões.

Nada (expressão) que o ser humano realiza é absoluto. Isto durou até Cristo ser gerado. Ele, como homem, trouxe-se na algo absoluto: a vida eterna.

Segundo um vídeo que assisti, Albert Einstein teve que reconhecer a dependência de Deus para provar sua teoria da relatividade.

Isto que acabei de escrever poderá se tornar relativo se alguém me provar o contrário.

Em exemplo: jamais me casarei com alguém assim, assim, assim, etc., mas com o passar do tempo e as experiências, tanto positivas quanto negativas, dos anos vividos, tendemos a reconsiderarmos nossos posicionamentos e quando vemos estamos casados com alguém assim, assim, assim, etc.

Em exemplo: nunca trabalharei naquele tipo de negócio. Vem a necessidade e aparece, como proposta, aquele tipo de negócio. Agora, estamos dando graças à Deus, fomos humildes e temos as nossas necessidades atendidas e, principalmente, as daqueles que dependem de nós. Por isto, relaxemos, tudo (expressão) termina sendo relativo.

Um caminho plano, também, pode ter acidentes.

Um caminho com ladeira, chuvas, animais, quebra-molas, etc., é um caminho adverso que tende a causar acidentes, que por atitudes de prudência podem ser evitados.

Assim, também, ocorre no caminho para o sucesso pessoal, profissional, empreendedor, organizacional, etc.

Há negócios, que não se depararam com muitas adversidades e se acomodaram. Quando, de repente, tiveram que enfrentar algo um pouco mais forte não tiveram poder (força) de reação, desanimaram, desistiram e desapareceram.

As reflexões que apresentamos têm como propósito nos alertar, despertar e incentivar, seja no caminho plano ou acidentado, a agirmos e reagirmos visando, sempre, nos alicerçar para alcançarmos crescimento e desenvolvimento, evitando a estagnação.

Tudo que nasce, ou cresce ou morre. 

Quando olhamos para a afirmação acima, caso não entendêssemos que tudo é uma expressão, poderíamos ficar incomodados.

No entanto, se olharmos de novo, considerando que, ou algo está crescendo ou está morrendo, podemos de fato nos incomodarmos. Quando nos sentirmos incomodados tenderemos a nos movermos. 

Em exemplo: Me alimento mau, não faço exercícios físicos (nem uma caminhada sequer), não me atualizo intelectualmente, não melhoro emocionalmente, nem espiritualmente, então, minhas condições físicas, mentais (intelectuais), emocionais e espirituais estão morrendo aos poucos, a cada dia.

Há duas formas de crescimento que precisamos salientar: para baixo e para cima.

Crescimento para baixo

A menor plantinha precisa de alguma raiz para sustentar seu crescimento. A menor construção precisa de algum alicerce para sua fixação e sustentação.

Em exemplo: Estive visitando um negócio e o empreendedor se demonstrava chateado com o banco, pois havia gerado várias notas frias para caracterizar capacidade de pagamento, mas não conseguiu o crédito. Não é desse tipo de crescimento que queremos tratar.

Todo negócio precisa de raiz ou alicerce, conforme o caso, e tem que ser real e não gerado de forma astuciosa apenas para atender os próprios interesses.

Crescimento para cima

Chamamos de estrutura, ou crescimento estrutural. A frase que gosto de utilizar, sem estrutura, ninguém (expressão) se atura, cabe bem aqui.

O alinhamento de pessoas, processos e informações, que chamo de alinhamento PPI, no livro FOCCO, vai contribuir de forma relevante para evitar a atrofia do crescimento.

A atrofia pode provocar uma estagnação que vai acelerar o processo de morte das condições já mencionadas anteriormente.

Conforto, acomodação e aceitação.

Conforto 

O que mais ouvimos nos dizerem, é: saia da zona de conforto, conquiste sua independência financeira, monte seu próprio negócio, realize seus sonhos, etc.

Se estamos em uma posição confortável, para assumirmos os riscos de uma mudança é preciso fazermos pelos motivos que valem a pena e estabelecendo um alicerce e uma estrutura adequados para não cairmos numa decepção. 

O que mais percebemos são incentivadores de mudanças que, no final, usando os chamados gatilhos, terminam levando as pessoas a saírem das suas zonas de conforto para entrarem na zona do caos e, consequente, pânico.

Acomodação

É diferente de estagnação. A acomodação, de coisas, feita com critérios, é proveitosa. Como tudo, se feita inadequadamente, tende a trazer danos.

Quando se trata de pessoas, a acomodação, é tida como tendência a estagnação. Não se trata de acomodar as pessoas, mas de pessoas “acomodadas” que custam a reagir mesmo quando a situação já está crítica.

Aceitação

Aqui, chegamos à primeira palavra escrita neste artigo. Podemos aceitar ou rejeitar decisões, atitudes, ações, etc. tomadas em relação aos nossos interesses.

No processo de aceitação, há três coisas que podemos considerar: a verdade do eu, do outro e de Deus.

A verdade do Eu. Cada um de nós tem aquilo que considera verdadeiro. É nisto que baseamos nossos motivos e razões pelos quais agimos.

A verdade do Outro. Em algumas situações o que é verdadeiro para um, não é para o outro. Isto ocorre porque cada pessoa tem suas informações, conhecimentos e experiências que resultam em entendimentos diferentes.

A verdade de Deus. Esta é a única que é absoluta. Cristo disse: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Disse, também: conhecereis a verdade e a verdade vos libertará.

Às vezes, aceitamos algo que não é bom, ou rejeitamos algo que seria bom, por não termos humildade suficiente e não avançamos, ficando estagnados, quando não regredimos.

Construindo algo extraordinário.

A construção de algo extraordinário, de forma excepcional, é como a montagem de um quebra-cabeça, onde há várias peças que precisam ser unidas de forma precisa.

Como construtores, nosso papel é encontrarmos essas peças e uni-las de forma autêntica e legítima para que as nossas construções sejam, de fato, prósperas e abençoadoras.

 

Osmar Marinho

Consultor Empresarial e de Empreendedorismo

OSMARNATUS CONSULTORIA


Osmar Marinho

Consultoria Empresarial

Iniciou no SEBRAE, como Técnico estagiário, em 1983, em seguida, atuou como Assistente de RH, Auditoria Interna, Administrativo de Vendas, Coordenador de Vendas, Coordenador de RH, Gerente Administrativo, Gerente Operacional, Consultor Técnico, Consultor de Administração, Consultor Empresarial. Escreveu e publicoui de forma independente os livros CHAMADO PARA VENCER e o 7 JOÃOZINHOS 7 MARIAZINHAS - TRANSFORMANDO ATITUDES EMPREENDEDORAS EM SUCESSO. Seu maior objetivo é cumprir seu juramento de honrar a sua profissão de administrador ajudando a transformar pessoas, empresas e a sociedade, deixando um legado digno de sempre se importar com todos, sem acepção. Linkledin: linkedin.com/in/osmar-marinho-de-santana-21493972




Rua Conceição de Monte Alegre, 107, Torre B - 10º andar
Conj. 101 B Cidade Monções
São Paulo, SP, 04563-060


2020 - Instituto Life Coaching