Cinco (05) “D” do Sucesso (Realizações)

Ninguém começa nada do zero



Não devemos esquecer que cada vida teve uma história inicial e que a maioria começou levando aquele tapa na maternidade para chorar ao ter nascido. Tudo, em absoluto, nasce de algo muito simples que se encontra ao alcance de todos nós e representa o primeiro “D”: 

Desejar

Os nossos desejos são as sementes que sendo plantadas, cultivadas e levadas até a colheita nos proporcionam as realizações (sucesso) que almejamos nas nossas vidas.

Aqui vamos tratar de desejo por três prismas, que são: 

Da vontade

Como tenho dito em um dos meus livros, a vontade é o desejo que se tornou tão próximo de nós que podemos realizar ou não, é uma questão de posicionamento. 

Exemplo: Estou com vontade de ler um livro. Se esse livro está comigo, isso é uma vontade, posso pegar o livro e ler. Caso não esteja de posse do livro, poderá ser um desejo um tanto distante, ou poderá ser um desejo muito distante que veremos sobre o prisma a seguir:

Do sonho

No mesmo livro, falo de sonho e considero que é um desejo muito distante, que quando você se refere a ele, logo escuta: você está sonhando.

Exemplo: Tendo uma renda de R$ 5.000,00, anuncio o meu desejo de comprar uma Ferrari, quem ouvi vai afirmar que se trata de um sonho.

Do querer

Vontade e querer para mim é como prudência e medo, são muito parecidos, mas não são as mesmas coisas. Para mim, o querer tem domínio sobre a vontade, o desejo e o sonho.  

É no querer que se concentra a força para realizarmos uma vontade, um desejo e, também, um sonho. O querer é a consciência do desejo, seja como vontade ou como sonho.

Exemplo: Todas as manhãs tenho vontade de ficar na cama mais um pouco, de não fazer a oração, de deixar os exercícios para o dia seguinte, etc., mas ao aplicar o querer, que me diz que preciso levantar, cumprir meus compromissos espirituais e naturais, logo venço as vozes da vontade negativa e realizo as vontades positivas.

Agora vamos conhecer e tratar do segundo “D”: 

Dispor 

Ao pensar em considerar essa palavra como segundo ponto para falarmos sobre sucesso (realizações), não imaginava que fosse tão abrangente.

Olhando alguns dicionários online pude constatar como essa palavra tem muitos sinônimos. Entretanto, aqui vamos levar em conta algo que cito no meu livro F.O.C.C.O., que chamo de aplicação TTI.

TTI, significa Tempo, Trabalho e Investimento. Não há como fazermos coisa alguma sem dispormos desses três fatores, quer sejam próprios e/ou de terceiros.

Tempo

Há uma palavra muito forte, que unida a palavra tempo nos mostra porque algumas coisas não aconteceram: Adequado

Não basta dispormos de tempo é preciso dispormos do tempo adequado. Até para adequarmos o tempo, vamos gastar tempo. Todo processo de adequação requer implementação, acompanhamento, avaliação e ajuste.

Ainda no livro F.O.C.C.O. falamos de Alinhamento PPI, que significa alinhar Pessoas, Processos e Informações. Esse alinhamento é uma forma de adequação.

Na acirrada competitividade do mercado que se intensificou com a era digital, essa adequação se tornou ainda mais uma questão de vida ou morte de um projeto.

 

Trabalho 

Não é diferente quando se trata de trabalho. Vamos unir trabalho a uma palavra relevante para os resultados: Necessário.

Uma das coisas que mais consomem os recursos disponíveis em um projeto é, sem dúvida, a realização de trabalhos desnecessários.

Quando falamos de alinhamento de pessoas, processos e informações estamos dizendo que isto tem que acontecer em todas as áreas do negócio, seja ele de ordem for. 

O trabalho desnecessário além de consumir tempo naquilo que não vai ser útil ainda impede desse mesmo tempo ser utilizado da forma necessária. 

 

Investimento 

Por fim, nesse tópico, vamos fazer a união da palavra investimento com uma palavra determinante para o êxito dos projetos: Suficiente

Insuficiência, em qualquer área, tende a ser um caos. Se essa insuficiência atinge os investimentos, temos uma grande possiblidade de não irmos adiante.

A visão é que todo gasto, independente de como a contabilidade o denomine, deve ser retornável com alguma forma de ganho sobre ele.

Então, precisaremos de Tempo Adequado, Trabalho Necessário e Investimento Suficiente, para levarmos o desejo até o final. Uma vez que consideramos isto, podemos partir para o terceiro “D”.

 

Definir

Para falarmos de definição temos que primeiro considerarmos a origem dos desejos.

A grande verdade é que temos muitos desejos surgindo o tempo todo como vontade e como sonho e precisamos aplicar a definição para não ficarmos confusos e não terminarmos sem realizar nada, em função da falta de definição.

Há muitos desejos que surgem em nós e que não são genuinamente nossos, entretanto, precisamos, também, considerar em que desejos alheios vamos nos envolver e até mesmo nos comprometer. 

Pais e mães, esposos e esposas, irmãos, amigos, etc., interagem em desejos que precisam ser considerados, pois ninguém realiza nada sozinho.

A melhor forma de definição que utilizo, tendo uma formação em Magistério e Administração, é transformar cada desejo em um objetivo, pois assim posso enxergar e perceber cada um de acordo com as minhas prioridades.

Acredito que esse seja um dos momentos mais delicados da efetivação das realizações. Pois, desejar não é difícil, mas definir, é algo mais exigente. E a definição é a base para que o próximo “D” seja bem-sucedido.

Então, vamos separar os desejos por:

Área

Pessoal (físico, intelectual, emocional, espiritual, etc.);

Profissional (curso, emprego, serviço, etc.);

Empreendedora (ser sócio, ser patrão, ser autônomo, etc.);

Organizacional (voluntariado, carreira, aposentadoria, etc.)

 

Prioridade

Urgente. Não é sábio deixar esperar mais;

Importante. Causa um impacto considerável sendo alcançado;   

Relevante. Traz mudanças significativas ao ser atingido; e 

Determinante. Mantém na direção que acertará o alvo (objetivo). 

Uma das definições inesquecíveis para mim é a definição de objetivos em um plano de aula. Utilizei isto quando me formei em magistério. Era assim: Ao final da aula o aluno deverá ter aprendido: mediante o assunto exposto tínhamos que consegui o aprendizado daquele assunto que era checado com o dever de casa, os testes, os trabalhos em classe e extraclasse e, por fim, as provas.

Na busca dos desejos, não será diferente. Vamos aplicar recursos, informações, conhecimentos, experiências, etc. e seremos avaliados pelo mercado, em todo tempo e de todas as formas.

Uma vez definido o (s) desejo (s), como objetivo (s), passamos para o próximo “D”.  

 

Decidir

Há pouco tempo, escrevi um texto em que abordei sobre três decisões poderosíssimas que tomaremos, ou não, todos os dias: O que começar? O que repetir?  O que eliminar?

O que começar?

Para que o tempo foi dividido em anos, meses, semanas, dias, horas, minutos, segundos, etc.? Acredito que é para nos programarmos, organizarmos, etc.

Uma forma simples de fazermos essas coisas é através do agendamento. O uso adequado de uma agenda diária, nos possibilita programarmos o que pretendemos começar a cada dia que vai se iniciar, seja o dia seguinte ou qualquer outro dia estabelecendo uma data e se necessário a hora precisa.

Pode parecer um tanto banal essa atitude, mas por não ser aplicada, em muitos casos, termina contribuindo de forma decisiva no fracasso dos projetos.

Quando senti o desejo de escrever este artigo, dispus do tempo adequado, trabalho necessário e investimento suficiente, defini o tema e os tópicos, decidi começar, repetir e eliminar tudo que fosse preciso para ir até o final.  

O que repetir?  

No nosso dia a dia o que mais fazemos é repetir coisas. Por necessidades pessoais, profissionais, empreendedoras, organizacionais, etc.

Existem muitas dessas repetições que são automáticas, praticamente. Outras, já são mais difíceis . Tendemos a nos esquivarmos de iniciarmos e repetirmos aquilo que não dominamos, ainda.

Muitas vezes, por uma questão de hábito ou vício, queremos manter coisas que já deveriam ter sido substituídas ou, simplesmente, eliminadas.

As duas ações básicas citadas aqui: programar e organizar, já são fortes posicionamentos para que se repita apenas o necessário.

O que eliminar?

Uma torneira pingando pode gastar mais de mil litros de água por mês. Com os recursos humanos, financeiros, materiais, tecnológicos e mercadológicos, não é diferente. Se não buscarmos eliminar os vazamentos de recursos estaremos dificultando a aquisição de saldo positivo satisfatório nos nossos projetos.

A eliminação de repetições desnecessárias, assim como a iniciação de ações necessárias vão consolidar um feliz quinto e último “D”.

 

Desfrutar

A minha saudosa avó, mãe da minha mãe, plantava mandioca, transformava em farinha e beijus e os vendia na feira. A minha saudosa mãe, confeccionava roupas e as vendia na loja e nas feiras.

Em tudo que já tratamos até aqui, tem três coisas que devemos desfrutar ao realiza-las: a semeadura, o cultivo e a colheita.

A semeadura

Como fora dito no início desse artigo, desejos são sementes que se não forem semeadas não poderão começar o processo de transformação. É preciso semear com alegria, prazer, esperança, satisfação, enfim, com todo aproveitamento possível.

O cultivo

Da mesma forma, celebrar cada fase de crescimento e desenvolvimento do desejo. Aprendendo com os erros e eliminando-os, assim como aprendendo com os acertos e repetindo-os. 

A colheita

Quando aprendemos a desfrutar da semeadura e do cultivo e não somente da colheita, mesmo quando não colhemos o que esperávamos continuamos fortes para replantarmos, recultivarmos e num momento preciso desfrutarmos de uma colheita satisfatória.

Para encerrar, vou narrar de forma bem objetiva uma transformação de ambiente e de gestão que resultou na transformação dos resultados. Essa foi uma realização contada por meu amigo e irmão, na fé, Igor Estandarte.

Ao perceber que uma loja de produtos de limpeza de um amigo e, também, irmão na fé, seria fechada por resultados insatisfatórios, não teve dúvida em apresentar sua visão da causa daquela situação e manifestar o desejo em muda-la, impedindo assim que aquela decisão de fechar o estabelecimento, se cumprisse. 

Assim foi feito. O motivo apresentado para os baixos resultados era um ambiente desorganizado e a má gestão (administração) que afastava os clientes.

A alternativa apresentada foi o fechamento da loja por duas semanas para uma reforma geral no ambiente e a implementação de uma gestão competente. Como a loja estava sujeita a fechar o empreendedor terminou cedendo à reforma.

Então, a loja foi fechada e processada a reforma que incluiu pinturas, reposicionamento de produtos, alteração de prateleiras entre outras ações necessárias, para uma nova fase, que o consultor voluntário considerou que deveriam ser feitas.

Duas semanas se passaram, a loja foi reaberta e graças, a ajuda de Deus, em primeiro lugar, e ao trabalho realizado o resultado apresentado surpreendeu o amigo, pois atingiu uma marca mais que cinco vezes o resultado antes da reforma.

O Igor continuou por algum tempo fazendo a manutenção da nova loja. Em poucos meses o empreendedor conseguiu trocar o carro velho por um carro novo, trazendo economia, devido aos transtornos e gastos com o carro antigo e por ganhar agilidade com o novo carro.

Atualmente, o Igor não está mais na loja, no entanto, o negócio segue com novo ambiente, nova gestão e novos resultados.

O sucesso, que são nossas realizações, tem acontecido e vai continuar acontecendo. Os “D” apresentados aqui tem a finalidade de contribuir com a melhoria dos nossos resultados. 

O Igor não tinha lido este artigo, mas por certo, com base nas suas informações, conhecimentos e experiências conseguiu aplicar o Desejar, o Dispor, o Definir, o Decidir e o Desfrutar e agora está sendo citado, contribuindo mais uma vez, voluntariamente.


Osmar Marinho

Consultoria Empresarial

Iniciou no SEBRAE, como Técnico estagiário, em 1983, em seguida, atuou como Assistente de RH, Auditoria Interna, Administrativo de Vendas, Coordenador de Vendas, Coordenador de RH, Gerente Administrativo, Gerente Operacional, Consultor Técnico, Consultor de Administração, Consultor Empresarial. Escreveu e publicoui de forma independente os livros CHAMADO PARA VENCER e o 7 JOÃOZINHOS 7 MARIAZINHAS - TRANSFORMANDO ATITUDES EMPREENDEDORAS EM SUCESSO. Seu maior objetivo é cumprir seu juramento de honrar a sua profissão de administrador ajudando a transformar pessoas, empresas e a sociedade, deixando um legado digno de sempre se importar com todos, sem acepção. Linkledin: linkedin.com/in/osmar-marinho-de-santana-21493972




Rua Conceição de Monte Alegre, 107, Torre B - 10º andar
Conj. 101 B Cidade Monções
São Paulo, SP, 04563-060


2020 - Instituto Life Coaching