Resenha do livro Life Design: Como assumir o controle e criar a vida dos seus sonhos

Já pensou ler um livro que te ajuda a melhorar em todas as áreas da vida? Escrito por vários especialistas, “Life Design” trás uma abordagem inovadora sobre desenvolvimento pessoal.



Que os livros de desenvolvimento pessoal servem para nos ajudar a desenvolver habilidades pessoais e melhorar nossa qualidade de vida não é novidade para ninguém. Mas se deparar com um livro desse gênero que engloba, literalmente, todas as áreas da vida, realmente aguça a curiosidade e chama a atenção.

O “Life Design” é um livro que baseia toda a sua estrutura na chamada “Roda da Vida”, que é um gráfico em pizza que contém 12 áreas fundamentais de nossas vidas, sendo elas: 

  1. Saúde e disposição
  2. Desenvolvimento Intelectual
  3. Equilíbrio emocional
  4. Realização e propósito
  5. Recursos financeiros
  6. Contribuição social
  7. Família
  8. Desenvolvimento amoroso
  9. Vida social
  10. Criatividade, Hobbies e diversão
  11. Plenitude e felicidade
  12. Espiritualidade

O objetivo desse gráfico é justamente fazer você olhar para cada uma dessas áreas de forma individual e avaliar o seu grau de satisfação com cada uma delas no presente momento. Sim, esse gráfico reflete a sua vida na atualidade. Se você fizer este exercício no futuro, o resultado pode ser completamente diferente. A nota que você pode atribuir a cada área é de 0 a 100%. Um detalhe importante é que quem define o significado de cada área é você mesmo. Para mim, por exemplo, “Saúde e disposição” significa exames médicos em dia, prática regular de atividade física, alimentação equilibrada e paz de espírito. Para outra pessoa, pode significar outra coisa. Então, a dica que eu dou é anotar em uma folha de papel o que cada área significa pra você, e depois de ter deixado claro o significado atribuído por você, avaliar sua satisfação com aquela área no momento. Feito isso, é só colorir o gráfico com o resultado. O meu ficou assim:

 

 

Com o gráfico colorido, iremos iniciar de fato a leitura do livro. É possível realizar a leitura de forma linear, seguindo a ordem do próprio livro, ou começar pela área da vida que está mais deficitada pra você no momento. Porém, aqui está o pulo do gato: é necessário refletir e avaliar todas as áreas da sua vida pra entender qual está te afetando mais. Não é só por que uma área ficou com nota baixa que ela é, necessariamente, o problema.

O que mais me incomoda atualmente é minha vida financeira, e depois de refletir um pouco, percebi que o real problema estava na falta de clareza do meu propósito, e não na vida financeira em si. Então comecei pela área “Realização e Propósito”, e fui retornando ao gráfico pra entender qual era a próxima área a ser contemplada com a leitura, até terminar. Por isso é importante essa análise sistêmica, pois tudo está interligado, uma área depende da outra, e somente com muita reflexão você irá entender onde está a raiz dos seus problemas.

Eu nunca tinha ouvido falar sobre a Roda da Vida e achei muito interessante este exercício, foi revelador. Só de parar pra pensar sobre minha satisfação com cada área, pude descobrir informações valiosas, que ainda não estavam no meu consciente. Com certeza, voltarei a realizar este exercício em outro momento da minha vida.

No livro, são reservadas cerca de 20 páginas para o desenvolvimento de cada um dos temas da Roda da Vida, abordados por doze especialistas, um de cada área. Por conter apenas, em média, 20 páginas por área, um espaço relativamente curto, já imaginamos que os conteúdos serão abordados de uma forma geral, sem maiores aprofundamentos, como efetivamente foi o caso de algumas áreas, como a Financeira. Pelo próprio teor do conteúdo, seria realmente impossível se aprofundar no tema em poucas páginas. O conteúdo ficou interessante, porém apenas para iniciantes. Por outro lado, me surpreendi positivamente com algumas áreas, como a área da Família, pelo seu conteúdo extremamente profundo, que literalmente tocou a minha alma. Chorei, me senti com a energia drenada pelo conteúdo, e me vi refletindo sobre o assunto durante vários dias após a leitura. Nunca tinha ouvido falar sobre a Constelação Familiar, nem sobre os três níveis da consciência, por isso aprendi muito com essa parte. E sabe o que é o mais interessante? A área da Família foi a que eu atribuí a maior nota de satisfação da minha Roda da Vida, e ainda assim, foi a que mais me ensinou e tocou. Outras áreas que também conversaram intimamente comigo e me ensinaram muito foram as áreas do Equilíbrio Emocional, da Realização e Propósito e a da Espiritualidade. Em contrapartida, a área de Desenvolvimento Intelectual não me acrescentou muita coisa. 

É claro que a forma como cada conteúdo será recebido e absorvido por você é algo subjetivo e depende de vários fatores, como o momento de vida que está vivendo, seus conhecimentos adquiridos e suas experiências de vida. Há grandes chances de você se identificar com alguns dos temas, ou com todos, e assim aprender com eles.

Uma observação interessante, que percebi na leitura do livro, é que a grande maioria das áreas cita a meditação como uma prática que auxilia no desenvolvimento daquela área. Sempre ouvimos falar por aí que a meditação é uma prática importante, que as pessoas “mais bem sucedidas do mundo” a praticam diariamente, porém muitas vezes enxergamos a meditação como algo distante da nossa realidade. Mas depois da leitura desse livro, que mostrou como a meditação ter o poder de transformar vidas, e que é possível meditar com apenas 5 minutos por dia, já coloquei como meta incorporá-la no meu dia a dia. Já comecei inclusive, e estou gostando bastante.

Outra coisa que me chamou a atenção é que, dos doze especialistas, nove são mulheres, o que me deixou bem entusiasmada, é sempre gratificante ver na prática como existem mulheres empoderadas e que são excelentes profissionais, colocando sua voz no mundo! Isso é algo inspirador!

Como decidi fazer uma resenha mais detalhada, irei comentar, de forma geral, o que cada especialista abordou em sua área de conhecimento da Roda da Vida, e também a percepção que eu tive com a leitura de cada uma delas.

 

  1. Saúde e disposição

Ao contrário do que muita gente imagina, o conceito geral de saúde não engloba apenas a saúde física, mas também a saúde mental, emocional e espiritual. A autora nos mostra que como somos seres únicos e indivisíveis, se dermos atenção a apenas uma das saúdes em detrimento das outras, todo o resto padecerá, mesmo se o que dermos atenção estiver bem.

Os 5 pontos que a autora acredita ser de fundamental importância para alcançarmos o melhor da saúde e do bem estar são: 

  1. Atividade física
  2. Alimentação (e seus sabotadores)
  3. Hábitos
  4. Autoconhecimento
  5. Meditação

Ela desenvolve cada um desses pontos de uma forma mais detalhada e propõe alguns exercícios simples, que nos fazem ter uma noção melhor de como estamos nessa área e o que fazer para melhora-la.

Por fim, a autora conclui dizendo que estamos no controle de como iremos reagir às situações que nos acontecem. A escolha de como iremos tratar essas situações é determinante para nossa autodestruição ou autocura. Achei as dicas e explicações super válidas e importantes. Vale a leitura!

 

  1. Desenvolvimento Intelectual

A autora começa nos explicando um pouco sobre o funcionamento do nosso cérebro e propões algumas atividades para melhorar a concentração, a memorização, a criatividade e a autoestima. 

Mais uma vez, a meditação é citada como uma técnica para desenvolvimento na área, e aqui a autora cita especificamente o “Mindfulness”.

Por fim, a autora dá algumas dicas de como o bom funcionamento do cérebro pode auxiliar no desempenho profissional.

Nas palavras da autora: 

“Quando eu penso em desenvolvimento intelectual, eu penso em estimular o cérebro a ter bons pensamentos, boas ideias com boas atitudes para assim, ser capaz de gerar benefícios em todos os setores da vida”.

Preciso ser sincera em dizer que essa área foi a que menos me ajudou entre todas as outras. Não senti conexão com o que estava lendo. A impressão que eu tive era que grande parte do que estava sendo exposto eram informações e situações que já conseguimos perceber naturalmente no dia a dia. Porém, novamente ressalto que essa foi uma percepção subjetiva e individual, que varia de pessoa pra pessoa.

 

  1. Equilíbrio emocional

Segundo a autora, Inteligência Emocional é a capacidade de reconhecer e avaliar os seus próprios sentimentos e os dos outros, sabendo lidar com eles. Muitas vezes, nos ancoramos em nosso lixo mental, que se forma pelo uso indevido das nossas emoções, e isso pode gerar até mesmo doenças como a ansiedade, o estresse, e o mal do século, que é a depressão, e tudo isso pode levar ao suicídio.

A abordagem da autora é bem informativa e traz três abordagens diferentes para o desenvolvimento da inteligência emocional, que são:

  1. As 5 estratégias poderosas pra se tornar emocionalmente sábio.
  2. Teste de Inteligência Emocional de Daniel Goleman, onde testamos 18 competências da Inteligência Emocional, sendo 9 competências pessoais e 9 competências sociais.
  3. Traços do caráter:

Pra mim, essa foi a parte mais interessante, pois a autora nos mostra como nossas emoções são programadas desde o período gestacional até os anos iniciais da infância. Todas as dores que sentimos nessa fase farão com que se instale em nós “sensações base”, que serão, literalmente, a base de nossos comportamentos, e responsáveis até mesmo pelo formato do nosso corpo! Achei essa informação sensacional e já fiquei interessada em fazer uma Análise Corporal. 

A boa notícia é que essas mesmas dores que se instalam em nós no início da vida, também fazem com que sejamos capazes de desenvolver habilidades para lidar com elas.

Por fim, entendemos que para sair da dor e viver em plenitude, precisamos perdoar para nos libertar! Sensacional o conteúdo dessa área. Recomendo fortemente a leitura!

 

  1. Realização e propósito

A autora começa seu relato nos contando sua emocionante história de vida, com todas as dificuldades que se deparou ao longo do caminho. Acredito que o grande “X” da questão é a forma como ela reagiu à essas dificuldades, buscando soluções através das habilidades que ela possuía e que poderia oferecer às pessoas e ao mundo. Ela nunca deixou de estudar também, acumulando ainda mais conhecimentos. Por conta dessa atitude proativa e positiva, ela não só superou os obstáculos, como também acabou encontrando seu propósito de vida.

Muitas vezes, quando estamos enfrentando dificuldades e não encontramos uma luz no fim do túnel, é comum adotarmos a atitude de entregar os pontos e se conformar com esse “destino”, justamente por não saber o que fazer diante daquela situação. Mas a autora nos mostra que é mais simples do que imaginamos. Precisamos começar identificando todas as nossas habilidades, experiências e conhecimentos, e assim pensar no que você poderia oferecer às pessoas e cobrar por este serviço e produto. Feito isso, é importante ter uma rede de contatos pra ajudar você a ser visto e a alavancar.

Essa área foi a primeira que estudei. Achei bastante agregadora a abordagem da autora.

 

  1. Recursos financeiros

O autor já começa nos dizendo uma grande verdade: Não somos ensinados a lidar com o dinheiro na escola! É bastante contraditório não aprendermos sobre esse aspecto fundamental da vida, que é o dinheiro, no local que supostamente deveria nos preparar para ela. 

As consequências desse lapso no conhecimento são gigantescas, pois a maioria esmagadora da população não sabe como lidar com sua vida financeira, não controlando os gastos, consumindo por impulso e contraindo dívidas.

Os primeiros passos para modificar essa realidade são, segundo o autor: livrar-se das dívidas, abandonar o espírito consumista, controlar o orçamento, aprender a poupar e investir de fato. Ele fala um pouco sobre cada um desses itens e depois mostra como se organizar de forma prática para controlar sua vida financeira.

Por fim, ele convida uma especialista para nos ensinar a como proteger a saúde mental na área financeira.

A abordagem do autor é bem prática e vai direto ao ponto, porém como disse no início do artigo, é para iniciantes aprenderem a sair do vermelho e conquistarem uma vida financeira mais abundante e controlada. Como a maioria das pessoas não sabem ainda como lidar com o dinheiro de forma consciente e inteligente, acredito que seria um conhecimento útil a muitas pessoas.

 

  1. Contribuição social

O episódio da vida a autora que a fez despertar para a responsabilidade social é compartilhado conosco. Segundo ela, responsabilidade social nada mais é do que um ato de olhar para o outro, para o mundo, entender as necessidades de ambos e ter a proatividade de intervir para o bem comum da coletividade. 

Sim, simplesmente devemos praticar o bem, e a contrapartida que recebemos por isso são sorrisos e sentimentos de gratidão de quem recebe, mas também pode ser uma experiência engrandecedora para quem o pratica. Por mais que você acredite que o pouco que pode contribuir para a sociedade não fará diferença alguma, para muitas pessoas pode fazer toda a diferença do mundo.

Para construir uma vida com responsabilidade social, devemos ser gentis, ter atitudes sustentáveis, amar a família, cuidar de si, acreditar no bem, consumir e divulgar o bem. Ela explica cada um desses e outros itens de uma forma detalhada.

 

  1. Família

A área da Família, como disse anteriormente, foi a que mexeu comigo de uma forma profunda. A autora fala de vínculos familiares, que fazem com que estejamos conectados, inconscientemente, com nossos pais, irmãos e ancestrais. Depois disso, ela nos explica sobre os três níveis de consciência que nos regem, que são as consciências pessoal, coletiva e espiritual. 

Quando queremos renegar nossos pais ou irmãos, nossa consciência coletiva não aceita que façamos isso, pois ela não admite exclusões. Todos os membros da sua família pertencem ao todo, estão conectados a você, quer você queira ou não. Então discordar, renegar e excluir só serve pra ferir você mesmo. Devemos apenas aceitar o outro como ele é, e colocá-lo no lugar em que ele pertence, para conseguirmos viver em paz e harmonia. 

Estou comentando de uma forma muito geral, a autora se aprofunda nos temas e explica de forma bastante compreensível, utilizando também exemplos para ilustrar. Apenas leiam!

 

  1. Desenvolvimento amoroso

Inicialmente, o autor nos mostra quatro cenários comuns em nossa relação com o amor, que são:

  1. Não ter um relacionamento e ser feliz assim.
  2. Não ter um relacionamento e querer encontrar alguém pra se relacionar.
  3. Estar em um relacionamento, porém com insatisfação.
  4. Estar em um relacionamento que te satisfaça.

Ele comenta, de uma forma geral, sobre esses cenários. Nos apresenta também diversos pontos importantes para refletirmos. Um que eu gostei bastante foi o de definir, com detalhes, o que seria a pessoa e o relacionamento ideal para você, e acreditar que essa pessoa existe, assim você aumentará suas chances de atraí-la pra sua vida.

 

  1. Vida social

“Você é a média das pessoas com quem convive”. Essa frase clichê é muito verdadeira, e o autor nos mostra como o Contágio Social existe e nos influencia mais do que imaginamos. Por isso, é importante selecionarmos muito bem as pessoas do nosso convívio, excluindo pessoas âncoras, se for possível. Se não for possível excluir determinada pessoa desse tipo, devemos então diminuir nosso contato com ela ao mínimo possível. O autor discorre sobre o tema e também propõe um exercício.

Feito isso, ele nos mostra como o desequilíbrio entre vida profissional e pessoal pode trazer inúmeros malefícios para nossa vida, inclusive afetar nossa saúde mental com desenvolvimento de doenças. A “síndrome de Burnout” está cada vez mais comum na atualidade (inclusive eu conheço pessoas que sofreram da síndrome). Por isso, se blindar e encontrar o equilíbrio é fundamental para o nosso bem estar.

Depois, começa um capítulo sobre Networking, que é uma prática importante por expande nossa rede de relacionamentos e nos possibilita influenciar muitas pessoas com nossas ideias. O autor nos mostra, através de dicas práticas, como fazer Networking.

Aliado ao Networking, podemos colocar o Marketing Pessoal, que é criar e demonstrar às pessoas o seu valor, e o valor do seu trabalho. Unidas, essas duas ferramentas são capazes de abrir infinitas oportunidades para a sua vida!

 

  1. Criatividade, Hobbies e diversão

Muitas pessoas acreditam que ter um Hobbie e se divertir é perda de tempo e dinheiro, pois o que importa na realidade é o desenvolvimento profissional e intelectual. Porém, é exatamente aí que ocorre um equívoco, pois ter um Hobbie pode ajudar as pessoas a se desenvolverem muito mais no âmbito profissional.

A criatividade é estimulada simplesmente ao fazer pequenas mudanças na nossa rotina. A própria autora cita um exemplo de quando ela modificou a posição em que dorme da na cama, e como esse simples ato fez com que ela mudasse a percepção das coisas. Acumular experiências diferentes, mesmo que pequenas, são fundamentais para o desenvolvimento da criatividade.

O Hobbie que a autora mais recomenda é ter o hábito de viajar. Viajando, somos inseridos em uma nova cultura, e muitas vezes precisamos nos adaptar de diversas formas àquela nova realidade, o que contribui para desenvolvermos inúmeras habilidades, como a de comunicação. Toda essa experiência, pode ser utilizada no ambiente de trabalho, auxiliando no crescimento no âmbito profissional.

O hábito de andar, mesmo que sejam caminhadas pequenas, também ajuda a clarear as ideias e encontrar soluções. Esses são apenas alguns exemplos citados pela autora, que recomenda que você mesmo encontre o Hobbie que tenha mais a ver com a sua realidade. É importante ressaltar também que o seu trabalho não pode ser visto como um Hobbie.

Por fim, a autora ressalta que quanto mais estimulamos nossa criatividade, mais ela aumenta, e mais aumenta nossa busca por mais criatividade, gerando um loop infinito!

Pessoal, achei sensacional essa parte. A autora entra em muitas outras questões e detalha tudo o que escrevi acima. Uma leitura muito válida e importante.

 

  1. Plenitude e felicidade

Na correria do dia a dia, estamos acostumados a acreditar que a felicidade é algo a ser alcançado. Pensamentos do tipo: “Quando eu emagrecer 5kg serei feliz!” ou “Quando eu comprar o carro do ano, estarei satisfeito!” são muito comuns de acontecerem. Esse é o grande erro das pessoas: acreditar que a felicidade vem do TER, quando na verdade ela é do SER. Sim, a felicidade é um estado de espírito, e é você quem decide como reagirá às situações que se apresentam em sua vida. Em outras palavras, felicidade é uma questão de escolha.

Além disso, a autora nos mostra que como ter valores pessoais torna mais fácil a manifestação da felicidade em nossas vidas e reagir com sabedoria, entendendo o que deve ser internalizado ou não.

A autora propõe uma série de exercícios, e discorre sobre os temas de forma detalhada, falando inclusive sobre a relação da neurociência com a felicidade.

 

  1. Espiritualidade

Uma área que precisa ser cada vez mais desenvolvida na atualidade. A autora começa contando um pouco sobre sua trajetória de vida, e como busca pela espiritualidade fez com ela superasse obstáculos e encontrasse a autocura.

É um conteúdo bastante interessante, a autora desmistifica a relação entre espiritualidade e religião, e também nos conta que áreas da ciência como a Física Quântica e a Neurociência estão encontrando cada vez mais respostas racionais a algumas manifestações espirituais. Porém, é claro que muitas coisas a ciência não explica, tornando necessário que confiemos nessas manifestações em nossa vida e também em nossos instintos e sentidos.

Após essas explicações, um capítulo nos apresenta ferramentas para desenvolvermos a espiritualidade em nosso dia a dia. Muito tocante!

Pessoal, como vocês puderam observar, o “Life Design” é um livro completo e bastante informativo! Acredito que valha a leitura! Porém, vá lendo no seu tempo, sem pressa, pois alguns assuntos podem ser delicados e mexer bastante com você de forma íntima.

Espero que tenham gostado da resenha, e até a próxima!


Luisa Faria

Profissional de Educação Física

Luisa Faria é profissional de educação física por formação, mas sua verdadeira paixão é mergulhar no universo dos livros e extrair deles valiosas lições. Movida por essa paixão, criou um canal no YouTube para compartilhar suas aventuras literárias e aprendizados sobre a vida, principalmente sobre ser mulher na sociedade em que vivemos. No Instagram também compartilha seus conhecimentos.




Rua Conceição de Monte Alegre, 107, Torre B - 10º andar
Conj. 101 B Cidade Monções
São Paulo, SP, 04563-060


2020 - Instituto Life Coaching