Comer Emocional

Quando a comida é um conforto ou uma recompensa



Atenção para o comer emocional nesse momento. Um momento de tensão e estresse combinado com reclusão e ócio pode ser a combinação perfeita para despertar o impulso de comer excessivamente.

Sabe quando você entra na cozinha várias vezes, abre e fecha a geladeira, procura, procura mas não encontra o que quer comer? Ou você belisca uma coisinha aqui, outra ali, come, come mas não se sente satisfeito, não resolve aquela sensação de buscar algo?

Isso acontece porque você não está com fome real, está procurando algo que não vai encontrar dentro da geladeira. Pode ser um problema que precisa resolver, algo que está te incomodando, te preocupando ou simplesmente o cansaço ou sono. Qualquer sentimento ruim ou mal resolvido, que por não ter se tornado consciente, gera esse sentimento de vazio que, no subconsciente, pode levar a uma falsa sensação de fome. É o comer emocional.

É muito comum no final do dia, após um dia cheio, cansado física e mentalmente, quando finalmente chega em casa, aquele cansaço e muitas vezes estress que se acumulou do dia, gera uma fome insaciável e uma tendência ao descontrole. É muito comum o relato de que o pior horário para seguir uma dieta é a noite, porque nosso cérebro entende que o prazer de comer pode ser a solução perfeita para tudo isso.

Nosso subconsciente busca uma solução para os problemas e para qualquer sentimento ruim. A solução que ele acha mais simples é obter alguma forma de prazer, recompensa, que vai esconder aquele sentimento, nem que seja por alguns minutos apenas.

Ele realmente acredita que aquele prazer irá resolver a questão. O problema é que esse tipo de fome emocional, é o que mais engorda, leva à compulsão e geralmente a busca é por alimentos calóricos, mais gostosos.

O primeiro passo para mudar isso é tornar consciente os nossos sentimentos, observando o que está levando ao impulso de comer. Para isso pode ser necessário uma meditação ou alguns minutos de silêncio. Uma dica prática é tomar um banho, por exemplo, antes de ir jantar, e estar atento aos seus sentimentos, seu nível de estresse e cansaço, para que isso não te guie inconscientemente.

Realizar um diário alimentar, anotando tudo que ingerir, é uma ótima ferramenta. O fato de estar anotando tudo que come te faz racionalizar na hora do impulso! Anote também o que estava sentindo naquele momento e como ficou depois de comer. Qualquer sentimento de culpa depois de se alimentar deve ser um sinal de alerta, que algo está errado, e esse comportamento pode indicar até uma compulsão alimentar. Quando for se alimentar procure pensar o que está te movendo naquele momento e o que espera com aquilo, se está com fome real ou se está buscando mascarar algo ou uma recompensa. Preste atenção nos seus sentimentos e se cuide.


Dra. Andrea R. C. Moreira

Endocrinologista

- Médica - Endocrinologista pelo Hospital da Beneficência Portuguesa de São Paulo - Complementação em Endocrinologia no Hospital das Clínicas da USP - Título de Especialista em Endocrinologia pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia - Residência de Clínica Médica no IAMSPE - Pós Graduação em Nutrologia - ABRAN Página Facebook: Dra. Andrea Moreira Consultório no Campo Belo Medical Center Av. Vereador José Diniz 3457 Conjunto 1411 São Paulo Contato: 1155311712 / 11995077071




Rua Conceição de Monte Alegre, 107, Torre B - 10º andar
Conj. 101 B Cidade Monções
São Paulo, SP, 04563-060


2020 - Instituto Life Coaching