CORONAVÍRUS – O que você precisa saber para se proteger nessa pandemia

Saiba o que é, sintomas, como tratar e prevenir essa doença



No final de 2019 um novo coronavírus foi identificado na China como causa de um tipo de pneumonia viral grave. Rapidamente o número de casos cresceu se tornando uma epidemia em diversos países e agora, uma pandemia mundial. Em fevereiro de 2020, a Organização Mundial de Saúde nomeou a doença causada por esse novo tipo de coronavírus como COVID-19 (Coronavírus disease 2019).

A doença causa tosse, febre e pode levar a problemas respiratórios. O contágio acontece de pessoa para pessoa, como a gripe. Uma pessoa contaminada com o vírus tosse ou espirra, emitindo gotículas que ficam suspensas no ar em um raio de até um metro e meio. Essas gotículas também podem se depositar nas superfícies por dias e principalmente nas mãos, que frequentemente levamos ao rosto, tocando a boca, nariz ou olhos ou aspirando essas gotículas.

Os sintomas começam após 3 a 8 dias após a contaminação podendo demorar até 14 dias e incluem febre, tosse, mal-estar, cansaço, dores musculares. A maioria das pessoas apresentam esses sintomas ou até nenhum sintoma. Mas algumas pessoas podem evoluir com pneumonia e insuficiência respiratória, precisando internação, UTI e intubação para respirar com ajuda de aparelhos.

Quem está mais propenso a apresentar essa evolução grave são os mais velhos, principalmente com mais de 80 anos e as pessoas que já possuem algum problema de saúde crônico, imunodeficiência ou problemas pulmonares. Crianças parecem ser as menos afetadas e evoluem com sintomas leves.

Se você sentir mal estar, febre e tosse, comunique o seu médico, de preferência por telefone. Se sua febre for persistente e apresentar falta de ar, deve procurar atendimento para realizar o teste, e nesse caso deve ir de máscara cobrindo boca e nariz. O tratamento dos casos leves pode ser feito em casa pois não há medicamentos específicos. A melhora ocorre normalmente em 2 semanas. Os casos mais graves podem precisar medicamentos e até internação em UTI.

Para a prevenção recomendamos que lave as mãos com sabão frequentemente por pelo menos 20 segundos. Caso você não tenha torneira por perto pode ser usado o álcool em gel pelo menos 60%. Evite tocar o seu rosto quando estiver fora de casa, mantenha uma distância de 2 metros das pessoas se possível, evitando multidões e evite tocar as outras pessoas, mesmo para cumprimentar. Se você pode, fique em casa e só saia para o essencial.

Na Itália, um país muito mais preparado, o número de mortes chegou a 2 mil em menos de um mês e a cada 5 dias os casos dobravam. No Brasil os casos dobraram em 2 dias, por isso foram iniciadas medidas pelo governo, como fechamento de escolas e cancelamento de eventos.

Se não tomarmos todas as medidas ao alcance agora, o número de pessoas contaminadas será tão grande que, mesmo sendo a minoria, os casos graves que necessitem internação e UTI não terão leitos suficientes. Tomando esses cuidados para retardar a transmissão, dá tempo das pessoas se recuperarem antes que mais gente precise, assim o sistema de saúde tanto público quanto privado consegue atender à todos.

Não há necessidade de estocar alimentos nem outras coisas. Você pode comprar mantimentos para 15 dias para evitar ficar saindo mais vezes, mas mais do que isso não é necessário, além de ser uma atitude egoísta. Quem não pode comprar tanto de uma vez vai ficar sem, gerando um desequilíbrio ainda maior numa situação difícil. A pessoa que está fora da faixa de risco pode sair e comprar o que precisarem ou pela internet. Por lei não é permitido o aumento exagerado do preço dos produtos necessários nessa época como álcool em gel e máscaras, o que, infelizmente, estamos vendo em alguns estabelecimentos comerciais, que se aproveitam de uma situação ruim e vulnerável.

Evite ao máximo ir a hospitais e clínicas. Se tiver um sintoma de resfriado leve, coriza, tosse, dor de garganta, ficar em casa é a melhor opção. Ir ao pronto-socorro nesse momento fazer o teste por curiosidade não vai mudar nada. Você pode transmitir para muitas outras pessoas nesses ambientes e, se não tinha o vírus, pode pegar lá. O tratamento não é específico, não existe remédio então vá para casa, coma bem, durma bem, descanse e beba água. Agora, se estiver com falta de ar, fôlego curto, dificuldade para respirar ou uma febre persistente há mais de 3 dias aí sim procure atendimento.

O que você puder adiar, adie. Se pode trabalhar de casa, trabalhe. Se pode adiar uma reunião, adie. Só faça o que for essencial, evitando aglomerações. Evite tocar nas pessoas e nas coisas e lave bastante as mãos com sabão, ou passe álcool sempre, porque sem perceber tocamos no rosto o tempo todo.

A mortalidade é baixa para jovens e adultos, cerca de 0.2%. Mas para idosos ou quem tem alguma doença crônica chega a 15%. Esses são os que vão precisar de internação e UTI, e para comportar todos é necessário desacelerar a transmissão e esse papel é de todos nós. Se cuidem e pensem no coletivo, sem pânico, seguindo as orientações e cada um fazendo o que pode com consciência, vamos passar por isso da melhor forma possível.


Dra. Andrea R. C. Moreira

Endocrinologista

- Médica - Endocrinologista pelo Hospital da Beneficência Portuguesa de São Paulo - Complementação em Endocrinologia no Hospital das Clínicas da USP - Título de Especialista em Endocrinologia pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia - Residência de Clínica Médica no IAMSPE - Pós Graduação em Nutrologia - ABRAN Página Facebook: Dra. Andrea Moreira Consultório no Campo Belo Medical Center Av. Vereador José Diniz 3457 Conjunto 1411 São Paulo Contato: 1155311712 / 11995077071




Rua Conceição de Monte Alegre, 107, Torre B - 10º andar
Conj. 101 B Cidade Monções
São Paulo, SP, 04563-060


2020 - Instituto Life Coaching