Finanças Comportamentais para Investidores

Heurísticas



As finanças comportamentais englobam conceitos de economia e psicologia com o intuito de construir um modelo detalhado do comportamento das pessoas em relação às suas finanças. 

Logo, se o processo de tomada de decisão de um investidor não pode ser tratado de forma totalmente racional, é natural que se chegue à conclusão de que as pessoas podem avaliar o preço dos ativos financeiros acima ou abaixo do seu valor real — por conta do seu excesso ou falta de confiança sobre o desempenho destes ativos, por exemplo.

Daniel Kahneman E Amos Tversky, os guias do nosso tema

Daniel Kahneman nasceu em Tel Aviv, Israel, em 1934, e é considerado um dos principais teóricos da economia comportamental. Kahneman ganhou em 2002 o Prêmio Nobel de Economia por conta de seus estudos relacionados às finanças comportamentais.

Em parceria com Amos Tversky, desenvolveu a Teoria do Prospecto, além de ter aprofundado estudos de base cognitiva usando a heurística e vieses comportamentais. Ambos, envolveram-se juntos, fortemente no desenvolvimento dessa nova abordagem da teoria econômica, e seu envolvimento nesse movimento teve o efeito de reduzir a intensidade e a exclusividade de seu período anterior de colaboração conjunta.

Com base em teorias de Kahneman e Tversky, Thaler publicou em 1980 um artigo que Kahneman chamou de “o texto fundador da economia comportamental”. Vamos nos aprofundar um pouco mais sobre isso.

Principais heurísticas

Heurísticas são uma espécie de atalhos cognitivos que aprendemos para facilitar a tomada de decisões que seriam mais complexas. Elas são mecanismos que usamos para fazer algumas escolhas de maneira mais rápida e, assim, economizar recursos mentais. 

No entanto, essas decisões “encurtadas” costumam ter uma qualidade menor. Segundo Kahneman, os mecanismos de simplificação tendem a conduzir ao enviesamento e, consequentemente, o resultado costuma ser escolhas equivocadas e inconsistentes.

Desse modo, temos 4 tipos de Heurísicas:

Heurística da representatividade;

Heurística da disponibilidade;

Heurística da Ancoragem;

Heurística do Afeto e o Efeito do Preço Zero.

Para finalizar, em resumo é de extrema importância que o investidor saiba que suas decisões não são tomadas somente pela racionalidade. Existem gatilhos que nos fazem diversas vezes tomar decisões um tanto quanto emocionais. Sabendo disso, precisamos conhecer as armadilhas para nos proteger na tomada de decisão de um investimento. No próximo artigo iremos pormenorizar melhor cada Heurística e debater mais profundamente acerca do assunto.

Muito obrigado pela sua leitura, sei que seu tempo é precioso e me comprometo a qualificá-lo com conteúdo no qual acredito ser relevante. Bons investimentos!

Autor: Léo Jaguaribe





Rua Conceição de Monte Alegre, 107, Torre B - 10º andar
Conj. 101 B Cidade Monções
São Paulo, SP, 04563-060


2020 - Instituto Life Coaching