Liderança: A arte de criar conexões emocionais

A inteligência social aplicada



O fator decisivo para a perpetuação da espécie humana, ao longo da história como animal dominante no mundo, é o que hoje, os cientistas chamam de: inteligência social. Nas comunidades primitivas do homo sapiens havia a necessidade de caçar, lutar e dormir em grupos para aumentar as chances de sobrevivência, tendo em vista que possuíam capacidades físicas inferiores aos outros animais. Neste cenário, indivíduos com bons níveis de comunicação, empatia, compaixão e outras habilidades sociais, possuíam mais chances de sobrevivência. Por esta razão, atualmente ainda existe de forma natural a necessidade de lideranças, relacionamentos e solidariedade.

O QUE É INTELIGÊNCIA SOCIAL?

Os líderes mais eficazes em qualquer área da sociedade, possuem altos níveis de inteligência social, e isto implica em algo muito mais amplo do que possuírem apenas habilidades sociais. Segundo Daniel Goleman, psicólogo e professor da Universidade de Harvard, inteligência social é a capacidade de acionar circuitos sociais nos cérebros das pessoas para gerar cooperação, motivação e entendimento mútuo. 

Pesquisas recentes da neurociência, identificaram uma célula no cérebro chamada de neurônio espelho, que tem por sua característica imitar ou espelhar estímulos vindos de outras pessoas. Estas células funcionam como um WiFi, recebendo as informações externas e replicando-as da mesma forma. Isto se aplica na liderança, quando consciente ou inconscientemente as pessoas identificam as emoções e comportamentos do líder, e com isso, seus neurônios espelho são ativados, reproduzindo as mesmas emoções. 

Pessoas com altos níveis de inteligência social tem a capacidade de induzir as outras a terem os mesmos sentimentos e comportamentos, gerando uma experiência compartilhada. Com isso, pode-se afirmar que a relação entre líderes eficazes e suas equipes é muito mais profunda do que simples relacionamento interpessoal, é uma conexão entre cérebros.

OS OLHOS SÃO A PORTA DA ALMA

Para desenvolver inteligência social deve-se primeiramente estar “presente” com as pessoas, ou seja, se conectar de fato. Para isso, o contato visual é fundamental, como Goleman afirma: os olhos são o caminho para o reconhecimento emocional do outro. É possível perceber esse funcionamento em casais prestes a se beijar, por exemplo. A partir do entendimento das emoções que a outra pessoa está sentindo, iremos agir de determinada maneira. Na liderança este processo ocorre da mesma forma, os líderes eficazes conseguem identificar o estado de espírito das pessoas, como elas estão se sentindo e assim, agir da melhor forma a inspirá-las.

Além do reconhecimento emocional, pessoas com altos níveis de inteligência social adotam comportamentos que geram reações emocionais positivas nas pessoas, e por consequência criam ainda mais sincronia. O efeito disso é extremamente poderoso e pode ser observado em indicadores corporativos. Segundo estudos, líderes com alto desempenho despertam sorrisos na equipe em média três vezes mais do que aqueles com desempenho mediano. Portanto, investir tempo e energia para criar sincronia gera resultados não só para as pessoas, mas também para o negócio.

Outras pesquisas constatam que mesmo em um ambiente sem uma liderança hierárquica definida, os líderes emergem de forma natural naquele indivíduo com o semblante emocional mais expressivo. Isto é, a pessoa que melhor manifesta emoções, é capaz de contagiar o restante das pessoas com os mesmos sentimentos e comportamentos. Quando essas emoções são positivas, podemos identificar uma liderança eficaz, contudo, quando as emoções desencadeadas são negativas (medo, raiva, estresse etc.) constata-se uma liderança tóxica.

COMPETÊNCIAS SOCIOEMOCIONAIS

De acordo com Goleman, é possível elevar o nível de inteligência social desenvolvendo as seguintes competências:

  • Autoconsciência;
  • Autogestão;
  • Empatia;
  • Consciência organizacional;
  • Influência sobre as pessoas;
  • Capacidade de Inspirar;
  • Trabalho em equipe.

O presente artigo buscou trazer o entendimento do que é de fato inteligência social, suas implicações e a partir disso, afirmar que esta é uma competência fundamental para os líderes, e ainda, aqueles que percebem isto, compreendem a real essência da liderança.


Gabriel Lopes

Profissional de Recursos Humanos e Gestão de Pessoas

Atua na área de gestão de pessoas com: capacitações,  treinamentos e desenvolvimento de lideranças. Além disso, cursa especialização Black Belt em Lean Six Sigma, para otimização de processos.

Sua carreira profissional iniciou em uma multinacional italiana, onde teve a oportunidade de liderar uma equipe, implementar projetos e comandar o planejamento industrial da empresa. Neste período, através de um mentor dentro da Organização, despertou o interesse por liderança e gestão de pessoas. Seu objetivo profissional é auxiliar executivos, gestores e jovens profissionais, a se desenvolverem como líderes.




Rua Conceição de Monte Alegre, 107, Torre B - 10º andar
Conj. 101 B Cidade Monções
São Paulo, SP, 04563-060


2020 - Instituto Life Coaching