Tesouro Direto

Agora que você já conhece um pouco sobre fundos de investimentos, confira mais sobre o Tesouro Direto.



Agora que você já está familiarizado com o termo Fundos de Investimentos e todas as possibilidades de aplicação como, por exemplo, a Imobiliária, Mercado de Ações e Tesouro Direto, vamos apresentar um pouco mais sobre o último e como é possível aplicar em cotas deste investimento governamental.

O que é o Tesouro Direto?

Criado em 2002 fruto de uma parceria entre a BM&F Bovespa e o Tesouro Nascional, o Tesouro Direto é um ativo público de renda fixa. Este título é emitido pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN) e pelo Tesouro Nacional. E esta aplicação é basicamente emprestar dinheiro para o governo e tornar este um investimento rentável. Por ser um investimento originado por um órgão do governo, o objetivo desta criação foi para dar
acessibilidade a todos que quiserem fazer este investimento e atinge desde os iniciantes até os investidores já experientes. Conforme o relatório do Tesouro Nacional sobre esta forma de investimento, em 2018 havia mais de 2,8 milhões de pessoas cadastradas no site do Tesouro Direto e o crescimento apontado em 12 meses foi de 63,4%.

O que devo analisar antes de investir no Tesouro Direto?

Como em todos os Fundos de Investimento você deve ter alguns pontos bem definidos antes de realizar a aplicação. Um deles é o tempo que pretende manter o dinheiro investido, é possível ver o prazo de vencimento do título antes de fazer o investimento, então se você pretende deixar o dinheiro investido por mais tempo, prefira aqueles com prazos mais longos já que a rentabilidade será maior. Já se pretende investir o dinheiro e resgatar em poucos meses, prefira títulos a curto prazo, pois assim não irá perder dinheiro ao resgatar o investimento antes do prazo. Porém é importante ficar de olho no desempenho do título já que em alguns casos a venda antecipada acaba tendo mais rentabilidade do que esperar o vencimento da aplicação. Outra facilidade ao investir no Tesouro Direto é que em todos os dias úteis o Tesouro Nacional faz a compra dos papéis que estão com o público, sendo assim os investidores não precisam esperar até o vencimento para resgatar o dinheiro aplicado.

Quais são as formas de investimento no Tesouro Direto?

O Tesouro Nacional dispõe de algumas formas de investimento para pessoa física e as que estão em alta são: Tesouro IPCA + (NTN-B) – que são títulos vinculados ao IPCA, que mede a inflação do país com o adicional dos juros -; Tesouro SELIC (LFT), que é vinculado à taxa SELIC e Tesouro Prefixado (LTN) que é aquele que tem a rentabilidade definida no momento da compra. No site do Tesouro Direto você encontrará diversos artigos com informações sobre como funciona este investimento e detalhes sobre a aplicação, além de simulação de investimentos e alguns vídeos sobre
o assunto, mas já adiantamos que você poderá iniciar o investimento com apenas R$30,00, os títulos são vendidos em fração e você poderá comprar a partir de 0,01 título desde que respeitando a taxa mínima.

 

Por: Rafaella Ehlke





Rua Conceição de Monte Alegre, 107, Torre B - 10º andar
Conj. 101 B Cidade Monções
São Paulo, SP, 04563-060


2020 - Instituto Life Coaching